PNCE - Plano Nacional da Cultura Exportadora


Metodologia do PNCE


O PNCE é desenvolvido em cinco etapas: sensibilização, inteligência comercial, adequação de produtos e processos, promoção comercial e comercialização – que constituem a Trilha de Internacionalização, ou seja, o caminho para uma empresa exportar. Ao serem cadastradas no Plano, as empresas são alocadas na Trilha de Internacionalização de acordo com seu grau de maturidade exportadora. À medida que avançam na Trilha, são enquadradas nas etapas seguintes.

Em cada uma das etapas, as entidades parceiras oferecem um conjunto de ações, as quais são planejadas, monitoradas e avaliadas pelos Comitês Estaduais. Para apoiar a condução do Plano, foi desenvolvido um sistema, acessado por todos os parceiros, que serve de ferramenta para o planejamento das ações que serão realizadas no ano e para o monitoramento de sua execução e resultados.


Trilha de Internacionalização

trilha

Na primeira etapa, “Sensibilização”, são desenvolvidas ações com o intuito de mostrar para as empresas as vantagens da exportação. São ações voltadas para empresas que nunca exportaram, que têm potencial exportador e que não conhecem os benefícios da exportação e/ou os princípios básicos do processo exportador. São ações coletivas (voltadas para um grupo de empresas).

A partir do momento que a empresa toma a decisão de exportar, ela passa para a segunda etapa, “Inteligência comercial”, quando ela receberá apoio para desenvolver estudos mercadológicos e identificar potenciais mercados para seu produto. São ações destinadas às empresas decididas a iniciar o processo de exportação e que ainda não têm informações sobre o(s) potencial(is) mercado(s) para seu(s) produto)s). Essas ações podem ser coletivas ou individuais.

Após ser identificado o mercado alvo para seu produto, a empresa terá acesso a ações para “Adequação de Produtos e Processos”, com vistas a adaptar-se às exigências daquele mercado. Nessa terceira etapa são oferecidas ações voltadas para empresas que já têm definido um mercado alvo e informações detalhadas sobre esse mercado. Essas ações podem ser coletivas ou individuais.

Na etapa seguinte, “Promoção comercial”, a empresa será convidada a participar de feiras e rodadas de negócios. São ações destinadas a empresas que já possuem produtos que atendem as exigências do(s) mercado(s) em que pretendem atuar, ou que buscam conhecer in loco os requisitos exigidos pelos seus potenciais compradores e informações sobre seus concorrentes e consumidores.  São ações coletivas, podendo ser individuais no âmbito estadual.

Na última etapa, “Comercialização”, são ofertadas ações de apoio à negociação, logística, distribuição, etc. São voltadas para empresas que estejam prontas para comercializar seu(s) produto(s) no exterior, mas que necessitam de apoio quanto à identificação de compradores, formas de distribuição, procedimentos alfandegários, etc. Essas ações ser coletivas ou individuais.

Além dessas etapas, são previstas ações transversais – que podem ocorrer em todas as etapas da Trilha – ligadas a Financiamento, Qualificação e Gestão.