PNCE - Plano Nacional da Cultura Exportadora


Competitividade no comércio exterior (Artigo)
O fortalecimento econÿmico e a retomada das exportações são fatores essenciais e de longo prazo


Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
07 maio 2018 - 09:55

Na última década, o comércio exterior brasileiro passou por uma transformação com a inversão da liderança exportadora dos produtos manufaturados pelos básicos, im-pactando diretamente a competitividade industrial. Além disso, chama a atenção o fato de o Brasil ocupar o ranking de quinto maior superávit comercial do mundo e nona maior economia, entretanto ocupa apenas a 26ª posição no comércio internacional.

Em 2007, os produtos industrializados representavam 523% das exportações brasileiras, frente a 32,1% dos produtos básicos. Contudo, esse cenário acabou se invertendo na década seguinte, também no Estado, em virtude da crescente comercialização de commodities para o setor externo e da perda de competitividade industrial.

Ao longo da última década, o acumulado do déficit da balança comercial de manufaturados atingiu US$ 700 bilhões, e um dos fatores que explicam essa mudança e principalmente a dificuldade em alavancar a indústria nacional no comércio internacional está na falta da competitividade motivada principalmente pelo custo Brasil e seus custos associados.

Além dos entraves burocráticos, econômicos e de estrutura que dificultam o desenvolvimento nacional como um todo, a presença de novos competidores no mercado mudou a configuração do comércio global. A China, atual líder no comércio mundial, ocupa cada vez mais espaço no mercado brasileiro, afetando as empresas locais.

Diante desse cenário, o Conselho de Comércio Exterior da Fiergs atua com foco na defesa de interesses e busca por um ambiente mais favorável para as empresas. A redução da volatilidade cambial, desoneração tributária, facilitação do comércio e acesso a mercados são alguns dos principais tópicos defendidos.

O fortalecimento econômico e a retomada das exportações são fatores essenciais e de longo prazo, que fortalecerão a indústria gaúcha e nacional, gerando crescimento e solidez da economia. O comércio exterior precisa cada vez mais ser visto como prioritário na política industrial, na medida em que é um dos vetores para o desenvolvimento econômico do país.

*CEZAR LUIZ MÜLLER, Vice-presidente da Fiergs e Conselheiro do Prêmio Exportação RS cezar@apmuller.com.br

Veículo: ZERO HORA - RS

Avaliação
0 avaliações

Comentários Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.