PNCE - Plano Nacional da Cultura Exportadora


Exportações do DF sobem mais de 100% e deficit na balança comercial tem queda expressiva


Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
03 agosto 2017 - 07:43

 

Brasília – A balança comercial do Distrito Federal apresentou no primeiro semestre de 2017 dois dados positivos: as vendas externas mais que dobraram (alta de 100,4%), totalizando US$ 154 milhões, e as importações tiveram uma queda de 22,97% para US$ 600 milhões. Com isso, o déficit nas transações com o exterior foi de US$ 445 milhões. Em todo o ano passado,  o fluxo de comércio com Distrito Federal resultou num saldo negativo de US$ 1,326 bilhão.

De janeiro a junho, o DF ocupou a vigésima-primeira posição no ranking dos estados exportadores e o décimo-sexto lugar na relação dos importadores por unidade da Federação. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Os números oficiais mostram forte aumento nas exportações em todas as categorias por fator agregado, à exceção das chamadas Operações Especiais. Graças ao aumento de 166,2%, as exportações de produtos básicos geraram uma receita de US$ 125 milhões e responderam por 81,1% do volume total exportado pelo DF. Com alta de 94,1%, os embarques de produtos semimanufaturados  somaram US$ 11 milhões, equivalentes a um fatia de 7,15% das exportações. Também foi registrado aumento relevante nas vendas de produtos industrializados, que somaram US$ 8,26 milhões, com alta de 34,5% e participação de 5,36% nas exportações totais do DF.

As chamadas Operações Especiais, envolvendo combustíveis para aeronaves e serviços de bordo, sempre tiveram participação importante na balança comercial do Distrito Federal, mas nos últimos anos essa participação vem decrescendo. Isso se deve ao cancelamento de uma série de voos que partiam do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck com destino a países como os Estados Unidos, Argentina e França, entre outros, e que acabaram cancelados.

De janeiro a junho as exportações desses itens  tiveram uma retração de 45,9% para US$ 9,9 milhões. Mesmo com a queda, as Operações Especiais foram responsáveis por 6,4% das exportações do Distrito Federal.

Soja lidera exportações

Em termos de produtos, a pauta exportadora do DF tem na soja em grão o seu carro-chefe. Graças a uma forte alta de 646,9% nos seis primeiros meses do ano, as vendas da oleaginosa somaram US$ 83,41 milhões, equivalentes a 54% de todo o volume embarcado para o exterior.  O segundo principal produto da pauta exportadora foi a carne de frango, no total de US$ 39,43 milhões, com um aumento de 11,5% em relação ao mesmo período do ano passado e uma participação de 26% na pauta exportadora.  Ouro em formas semimanufaturado foi o terceiro item mais importante das exportações do Distrito Federal no período. Os embarques ao exterior totalizaram US$ 11 milhões, com alta de 94,1% comparativamente com 2016 e participação de 7,5% no total exportado.

Outros produtos  exportados pelo Distrito Federal foram as chamadas Operações Especiais, envolvendo consumo de bordo e óleos combustíveis (US$ 8,96 milhões, com queda de  48,9% e participação de 5,8%)  e embutidos de carnes, no total de US$ 6,77 milhões (alta de 52,7% e participação de 4,1% nas exportações).

A balança comercial do DF é tradicionalmente deficitária e esse déficit se deve principalmente ao fato de que as importações de medicamentos realizadas pelo Ministério da Saúde e posteriormente enviados a outras unidades da Federação, são computados como importações locais. No primeiro semestre deste ano as importações de remédios tiveram uma queda expressiva  de 20,5% e somaram US$ 478,55 milhões. Ainda assim, foram resposáveis por 80% de todo o volume importado pelo Distrito Federal.

A relação dos principais produtos importados abrange ainda demais produtos manufaturados (US$ 15,5 milhões), energia elétrica (US$15,12 milhões), máquinas automáticas para selecionar, dobrar correspondências (US$ 9,98 milhões).

Países de destino/origem

A China é, de longe, o principal país de destino das exportações do Distrito Federal  e as vendas para o gigante asiático somaram US$ 64 milhões (participação e 41,41% no total exportado). Outros parceiros importantes foram a Arábia Saudita (US$ 18 milhões e participação de 11,90%), Estados Unidos (US$ 13 milhões, correspondentes a uma fatia  de  8,68%).

No tocante às importações, os Estados Unidos foram o principal parceiro comercial do DF, com um total de US$ 185 milhões (participação de 30,78% no volume total importado), seguidos pelo Reino Unido (US$ 152 milhões), Áustria (US$ 61 milhões), Canadá (US$ 34 milhões), Índia (US$ 32 milhões) e Alemanha (US$ 18 milhões).

FONTE: https://www.comexdobrasil.com/exportacoes-do-df-sobem-mais-de-100-e-deficit-na-balanca-comercial-tem-queda-expressiva/


Avaliação
0 avaliações

Comentários Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.